Dieta Cetogênica: 7 alimentos para comer À VONTADE! | Senhor Tanquinho

Tem gente achando que a dieta cetogênica
é baseada em tomar café com manteiga e comer ovo com bacon o tempo todo. Mas, por mais que não exista nada de inerentemente
ruim nesses alimentos, não precisa ser assim a sua vida. Por isso, hoje eu vou te mostrar sete alimentos
que podem ser adicionados à sua dieta cetogênica sem medo nenhum. E melhor: quando for comer esses alimentos
você não tem nem que se preocupar com coisas como quantidade ou controle de calorias, nem
nada assim. Você pode comer, realmente, infinito – se
você conseguir. Eu sou o Guilherme do site Senhor Tanquinho
e quero aproveitar esse momento que nós estamos nos conhecendo melhor, que eu acabei de me
apresentar para você, para você apertar o botão de se inscrever no canal e apertar
o sininho das notificações porque aí você vai receber os vídeos novos que eu e o Roney
mandamos toda quarta-feira às 20h. Se você quiser se apresentar, fique à vontade
também e deixe um comentário contando o seu nome e me conta o que você está procurando
ao saber mais sobre a dieta cetogênica. Então vamos ver quais são esses sete alimentos
infinitos da dieta cetogênica e fique comigo até o final que eu vou te dar um alimento
bônus por você ser muito legal e estar assistindo esse vídeo. O nosso primeiro alimento são aquelas tradicionais
saladas de folhas, do tipo alface, rúcula e agrião. Eu gosto muito de rúcula, mas aqui eu tenho
hoje para você, para te mostrar, representando essa família toda, um prato cheio de alface. Aqui tem 200 gramas de alface. E por que a alface, a rúcula, enfim, são
tão bem-vindas na dieta cetogênica? Bom, porque elas praticamente não têm carboidratos. Na verdade, nesses 200 gramas – você viu
o tamanho do prato – não tem nem 2 gramas de carboidrato. E um prato desse deixa você bem saciado. Acompanha ele, por exemplo, com uma carne
ou com uma omelete e você já tem uma refeição que vai te deixar saciado, vai ter alguns
minerais; vai ter algumas proteínas – você não deve buscar obter suas proteínas da
alface, mas tem um pouquinho também – tem um pouco de fibra, que para algumas pessoas
isso pode ser importante; e também tem água e ajuda a contribuir para a sua hidratação,
especialmente se você ainda está desenvolvendo o costume de se hidratar adequadamente e toma
água ao longo do dia. Aquele prato todo de 200 gramas de alface
não tem nem 40 calorias. Isso sem contar que uma boa parte delas vai
ser queimada já para ser metabolizada porque boa parte das calorias é das fibras e outra
boa parte é das proteínas, que também têm um efeito térmico elevado. Eu já falei como as proteínas aumentam o
metabolismo em um outro vídeo que eu vou deixar aqui em cima. É um vídeo com três maneiras naturais de
você aumentar o seu metabolismo. Depois você assiste esse, então vamos para
o nosso alimento #2. O nosso alimento #2 é o repolho. O repolho também é uma folha verde, porém
eu quis deixá-lo separado aqui, até porque eu não costumo comê-lo na salada, embora
também vá muito bem. Eu gosto mais de picá-lo e fazer tipo um
refogado com um pouquinho de manteiga, um pouquinho de azeite, coloca sal e pimenta
e vai embora. O repolho também é super baixo em carboidratos,
também tem um pouco de fibra prebiótica, o que quer dizer que ela alimenta as bactérias
boas do seu bioma intestinal, do seu intestino, e também pode ser fermentado para fazer chucrute. E é muito bacana comer comida fermentada
de vez em quando, do tipo chucrute, kefir, iogurte, porque essas comidas tendem a favorecer. Comer comida fermentadas é algo que nós
fizemos durante toda a nossa evolução, então acho que faz sentido, e o repolho é um ótimo
candidato para você obter a sua dose de comidas fermentadas. Já o nosso terceiro alimento é o brócolis. É claro que o brócolis pode fazer parte
de uma dieta saudável e também o brócolis fornece fibras, algumas vitaminas um pouco
de minerais e até um pouco de Ômega 3. É claro que não é 100% sensato você trocar
o seu peixe, por exemplo, uma sardinha, pelo brócolis e achar que vai ser igual à disponibilidade
de Ômega 3. Porém, ele tem um pouquinho e, com certeza,
é legal saber que esses alimentos gostosos e saudáveis também podem fornecer alguns
nutrientes que a gente nem imaginava. No caso do brócolis – esse aqui é congelado
– eu compro congelado, já lavado, bonitinho… é só fazer na panela. Eu deixo ele fazer na própria água dele. É bem rápido e tranquilo. E é legal saber também que o alimento congelado,
quando ele acaba de ser colhido, e é congelado, não perde muitos nutrientes, ao contrário
do que muita gente pensa. Então, se você achar mais prático comprar
os alimentos assim, invés de ficar aquela odisseia de ficar lavando folhas, secando,
guardando e torcendo para não estragar, também pode ser uma opção bastante válida. Já o nosso quarto alimento é a couve. No caso, eu não achei a couve no mercado. Eu comprei os grelos de nabo porque eles têm
um perfil mais ou menos parecido com ela. A couve, no caso, eu acho particularmente
gostosa para fazer naquela gordurinha que sobra depois que você frita um bacon. Você coloca o bacon, esquenta a frigideira,
ele vai soltar uma gordura… faz a couve picadinha nessa gordura e vai ficar uma delícia! Realmente ela é um dos destaques de uma boa
feijoada, por exemplo, e não é à toa. Você não precisa comer o resto da feijoada. Pode comer o bacon, a couve… e ela fica
realmente deliciosa, bem temperadinha. E, devido ao fato de todos esses vegetais
serem mais ou menos parecidos, eles todos têm também um pouco de Ômega 3, cálcio,
disso daquilo… nada que vá fazer mal para você, se você é um adulto saudável, e
tudo o que pode te ajudar, pode te fazer bem, pode ajudar a complementar a sua dieta cetogênica. Já o nosso quinto alimento é o aipo, ou
salsão, ou alho-poró, ou alho-francês. Todos esses são primos, digamos assim. Aqui eu tenho o aipo, no caso, ele já está
com aquelas folhinhas da ponta cortadas. E o que eu acho particularmente legal do aipo,
ou do alho-francês, ou do salsão, enfim, é você usá-lo como você usaria um palitinho
de pão, para pegar um molho de tomate caseiro que você fizer ou uma maionese de abacate
– que fica, particularmente, muito gostoso… é substituir a colher para pegar o resto
daquele molhinho que fica no prato. Então esse é um jeito bem gostoso de consumir
porque ele tem um sabor relativamente neutro. Nós ensinamos a fazer essa maionese de abacate
que eu mencionei – que é 100% low-carb, cetogênica, vegana e rica em gorduras boas,
do tipo, monoinsaturadas – em um outro vídeo do canal que eu vou deixar também aqui em
cima para você assistir depois, se você gostar desse tipo de receita para inovar em
casa. Com certeza é melhor do que as maioneses
cheias de óleo vegetal que você encontra no mercado por aí. Já o nosso sexto vegetal é o pepino. O pepino entra na minha lista pessoal de favoritos
porque ele é muito prático. Como você já percebeu, eu gosto de comprar
alguns vegetais congelados para não ter que ficar lavando um monte de folha. O pepino também não dá um monte de folha
para você lavar! E ele é gostoso de ser comido cru. Então dá para fazer uma salada muito fácil
com pepino. Você o lava bem fácil – não tem que lavar
folha, não tem que fazer nada – dá para cortar em fatias fininhas, colocar um pouco
de sal e pimenta e já tem uma salada. Se você quiser incrementar, também colocar
um tomate junto aí, cortado, um pouco de queijo cottage, azeite e manjericão e você
tem uma bela de uma salada, quase uma refeição, já feita, sem ter muito trabalho, sem ter
que cozinhar nada; com proteínas boas, nutrientes, fibras… Então, o pepino com certeza é um coringa
da dieta. E a gente falou de comida fermentada antes
e o pepino também pode ser fermentado para fazer o picles. No caso, geralmente se usa aqueles pepinos
menores. Mas ele também é um alimento bom, barato
e fácil de encontrar. Já o nosso sétimo alimento é um pouco mais
difícil de encontrar. É a couve-de-Bruxelas, que tem esse nome
porque você só consegue comprá-la na cidade de Bruxelas, na Bélgica. Não, pessoal, brincadeira! Você consegue encontrar em outros lugares
também. E eu acho ela bastante saborosa de fazer. Ela tem um sabor bem característico e tem
que tomar um cuidado na hora de cozinhar porque se ela cozinhar demais fica até um pouco
doce, um pouco mole, sei lá, não fica tão boa; mas quando você acerta o ponto, realmente,
dá uma ótima refeição. E se você gosta de tirar fotos de pratos,
a couve-de-Bruxelas é excelente porque ela é redondinha e vai complementar muito bem
as suas fotos. Agora aqui na tela, por exemplo, uma foto
de quando eu fiz o desafio vegetariano. Esse aí é uma omelete com queijo. Tem um pouco de espinafre refogado e também,
ao redor do prato, várias couves-de-Bruxela. Se você quiser saber mais sobre esse desafio
vegetariano que eu fiz, comenta aqui embaixo que eu te conto tudo sobre ele. Fiz até um PDF grátis para você. É só comentar que eu te mando tudo. Uma coisa que você pode ter notado em relação
a todos esses vegetais, é que todos eles são bem pobres em carboidratos, são ricos
em fibra e também são ricos em água. E essa combinação proporciona o quê? Ela proporciona muita saciedade, isto é,
se você está tendo dificuldade de perde peso, se você se sente com fome o tempo todo,
se você acha que as suas refeições não estão durando o quanto elas deveriam – se
você está ficando com fome, por exemplo, entre o almoço e o jantar – talvez adicionar
um pouco desses vegetais possa te ajudar a aumentar a sensação de saciedade sem adicionar
muitas calorias na sua dieta, sem adicionar muita energia. Porque eu sei, é claro, que um queijo pode
dar muita saciedade ou fazer uma receita cheia de creme de leite pode. Porém, você vai ter que tomar um pouco mais
de cuidado com esses outros alimentos porque eles têm muitas gorduras, são muito fáceis
de comer em quantidade excessiva – as oleaginosas sofrem esse mesmo problema, por exemplo. Já esses vegetais todos que eu te mostrei
só tem coisas boas a adicionar para a sua dieta. Se você lida bem com eles, se você não
tem problemas com os vegetais, você com certeza vai se beneficiar de adicionar um pouquinho
deles aqui, outro pouquinho ali; e eles podem até mesmo aumentar o perfil de nutrientes
que você está ingerindo em uma base diária. Agora para você que ficou até aqui eu quero
te mostrar o nosso oitavo alimento, que é o alimento bônus que eu te falei. Ele é diferente dos demais porque esses demais,
como eu te falei, são gostosos sim, mas são basicamente fibra e água. Já esse oitavo alimento tem gorduras ótimas,
o tipo de gordura que todo mundo sabe que faz bem. É a mesma gordura do azeite de oliva. É a azeitona. Se você já acha que o azeite de oliva é
um alimento saudável, então por que não comer a azeitona, que é de onde o azeite
vem? Na verdade, ela é ainda mais “comida de
verdade”, ela é ainda menos processada do que o azeite de oliva, porque ela tem que
ser espremida para virar o azeite. E nós sabemos que comer comida de verdade
pouco processada, rica em antioxidantes, vitamina E, gorduras monoinsaturadas só vai fazer
bem para você. Então a azeitona pode ser uma ótima opção
para temperar a sua salada, seus pratos, preparações, servir de recheio para a sua quiche low-carb,
por exemplo, que é uma receita de grande sucesso aqui do canal
E ainda pode servir de petisco para quando você estiver fazendo aquela noite de Netflix,
tranquilão – você não precisa comer pipoca! Pode comer um pouco de queijo, azeitona, que
é um alimento low-carb, bem gostoso, bem saudável e comumente esquecido. Então vamos continuar essa conversa aqui
embaixo. Obrigado por ter assistido até aqui. E aqui do lado tem outro vídeo que eu gravei
para você com as únicas cinco dicas que você precisa para ter grande sucesso na sua
dieta cetogênica. Então deixe o seu like, não esqueça, porque
isso me ajuda para caramba e nós nos vemos semana que vem.

Poderá ver o vídeo no youtube Aqui